HQ's para ler antes de morrer: Punisher: Year One


HQ's de origem de personagens são muito bacanas. Afinal, é sempre interessante descobrir quais foram os meios que transformaram os heróis no que eles são. Mas volta e meia surge uma HQ deste estilo que se sobressai, seja pela qualidade do roteiro ou pela arte refinada. Um caso que agrega estas duas qualidades e muito mais é a série Punisher: Year One, que mostra a origem de um dos personagens mais bacanas da Casa de Ideias, o Justiceiro.

A base da história é muito simples e conhecida dos fãs do personagem: Depois que sua família é assasinada pela máfia, Frank Castle decide travar uma guerra de um homem só contra o crime organizado, vingando a morte de sua esposa Maria e filhos.



Escrita em 1994 por Dan Abnett e Andy Lanning, com arte do super talentoso Dale Eaglesham , Year One mostra os primeiros dias de Frank após o assassinato de sua família e como surge o anti-herói mais foda da Marvel.



Num primeiro momento após o crime ele é um ex-fuzileiro naval com tendência suicidas, que acredita que a polícia de Nova York irá trazer justiça para a sua família. Mas não demora muito para ele descobrir que corrupção do sistema defende os criminosos e torna a busca por justiça uma utopia. O que acontece depois você já imagina, Castle decide usar os seus talentos de fuzileiro para buscar vingança contra o crime organizado. Assim nasce o lado obsessivo militante do Punisher (Justiceiro), que se tornou a marca registrada do personagem.



Year One vai além da história de origem do Justiceiro e mostra camadas de profundidade no desenvolvimento do personagem, mostrando a relação de Castle com a justiça e sua frustração com o sistema que protege os poderosos, assim como seus conflitos internos. 



Ao ler Punisher: Year One você vai entender ainda mais a profundidade e força deste anti-herói da Marvel. Por isso, coloque essa série na sua lista de leituras obrigatórias e entenda como um homem destruído se tornou um dos personagens mais interessantes e violentos do mundo dos quadrinhos.
Tecnologia do Blogger.