Tá aí o nosso review da primeira temporada da série do Demolidor



Você deve estar se perguntando porque demoramos tanto para escrever sobre a primeira temporada do seriado do Demolidor. Simples, como um bom vinho ou whisky, acreditamos com que a produção da Marvel com o Netflix, deve ser degustada, assistida aos poucos para curtir cada momento.



E toda essa calma para assistir ao seriado provou-se a estratégia correta, pois a Casa de Ideias acertou em cheio em todos os sentidos. Em começar pela plataforma, o serviço on demand do Netflix foi um tiro certo. Afinal, o Demolidor é um herói urbano e violento, que não combina lá muito bem com a linguagem das grandes produções cinematográficas da Marvel, focadas muito mais na diversão do que na violência.



E o que falar do elenco? O ator Charlie Cox realmente absorveu o espírito de Matt Murdock. E as escolhas de Elden Henson como Foggy e Deborah Ann Woll como Karen Page foram super acertadas.

E que tal Vincent D'Onofrio como Wilson Fisk? Simplesmente a escolha perfeita, com uma atuação digna de prêmio. Afinal, como não ser absorvido pela transição sutil do personagem através dos olhos de Vanessa Fisk, entregue com a atuação marcante de Ayelet Zurer.



São tantos pontos certeiros na produção que fica difícil escolher sobre o que falar. Mas o que chama a atenção foi como os roteiristas Bill Everett, Drew Goddard e sua equipe optaram por contar a origem do personagem através de flashbacks. Isso não tornou a famosa transição herói/origem cansativa, sendo introduzida na história em doses pequenas, na medida certa.




E o que falar da transição do uniforme do personagem? A mudança para o traje vermelho ocorreu de uma forma natural, por uma necessidade do personagem. Nada daquela coisa forçada, como costuma ocorrer nos filmes do Homem-Aranha, por exemplo.







Em suma, a primeira temporada do Homem sem Medo foi simplesmente fantástica e deixa a gente muito animado para a futura série dos Defensores e todos os heróis que chegaram com ela: Luke Cage, Jessica Jones e Punho de Ferro.

Analisando tudo com calma fica claro que a Marvel acertou em cheio em trazer os heróis urbanos para o Netflix, onde a violência pode ser mais explicita e gráfica, bem dentro do perfil deste heróis. Agora temos que esperar as aventuras solo dos Defensores e a segunda temporada do seriado do Demolidor, que já está confirmada para 2016!

Aproveitamos ainda este espaço para listar cinco coisas bacanas da série:

1. Fica claro que Wilson Fisk ganhou influência na Cozinha do Inferno após os eventos do filmes dos Vingadores. Com a cidade de Nova Iorque destruída, ficou fácil para o Rei do Crime tomar conta do pedaço através de empreendimentos imobiliários.

2. Há uma preocupação constante da Marvel de amarar bem o seu universo live action. Se você reparar, Melvin Potter, o personagem responsável por criar o uniforme vermelho já foi visto antes, no curta Todos Saúdem o Rei, que mostrava o Mandarim na cadeia.

3. A enfermeira Claire Temple, interpreta por Rosario Dawson, é inspirada na Enfermeira da Noite (Night Nurse). A personagem teve uma curta série de quadrinhos publicado pela Marvel Comics em 1973, estrelando a enfermeira Linda Carter, conhecida por auxiliar diversos heróis feridos do Universo Marvel. Em 2004 ela reapareceu na revista Demolidor e durante a série da Guerra Civil.44

4. No escritório do jornalista Ben Urich (Vondie Curtis-Hall) havia recortes de jornal que mostravam os eventos do filme solo do Hulk e a destruição da invasão Chitauri do filme dos Vingadores. Isso mostra que o perfil live action é muito parecido com o do personagem dos HQ's, que está sempre perto da ação.

5. O uniforme negro utilizado por Matt Murdock durante quase toda primeira temporada é inspirado nas HQ's dos primeiros anos do Demolidor, escritas por ninguém menos que Frank Miller. Por sinal, Miller é considerado até hoje o maior responsável pelo sucesso do personagem nos quadrinhos. Uma justa homenagem, não é mesmo?

E você, ainda não assistiu a série do Homem sem Medo? Ela está disponível com exclusividade no serviço on demand do Netflix. Vai lá conferir! O primeiro mês é de graça.

UPDATE:
Não sei como havíamos deixado isso de fora, mas a cena mais fodástica da série merecia uma menção. Especialmente se levarmos em conta que ela foi filmada em um take único.

Daniel Dreyer

Publicitário, blogueiro, fã de cultura geek, HQ's, filmes, séries e colecionáveis. Planejamento de contas na agência de publicidade Gampi, muito bem casado e papai babão.