Max Payne 3 traz de volta o Bullet Time



Um jogo sobre um policial nova-iorquino chamado Max Payne, que teve sua família cruelmente assassinada, foi o grande hit do mundo dos games em 2001. O título original apresentou uma grande revolução, o Bullet Time. Uma habilidade que permitia ao gamer “parar” o tempo para atingir o maior número de adversários possíveis. Até hoje este recurso é considerado o maior legado da franquia. 

O primeiro Max Payne foi um sucesso de vendas e a produtora Remedy Entertainment não pensou duas vezes na hora de produzir uma sequência. Já em 2003, chegou ao mercado Max Payne 2. Não precisamos dizer que o Bullet Time estava lá, assim como o personagem principal e seu mundo noir.

Para os fãs, o terceiro game parecia uma questão de tempo, e que tempo. Após quase uma década, o terceiro capítulo da franquia de Max Payne chega aos jogadores. Agora nas mãos da produtora Rockstar – a mesma da série GTA – o personagem está 12 anos mais velho, mas com os reflexos rápidos como sempre.

É claro que o Bullet Time, marca registrada do game, está lá. E a parte mais bacana é que grande parte da aventura se passa em São Paulo. Gostou da novidade? Que tal conferir os 15 primeiros minutos do game como aquecimento.



O game chega dia 1º de junho. Prontos?


Meu texto publicado originalmente na Revista Rumo e replicado aqui na maior cara de pau.

Daniel Dreyer

Publicitário, blogueiro, fã de cultura geek, HQ's, filmes, séries e colecionáveis. Planejamento de contas na agência de publicidade Gampi, muito bem casado e papai babão.